segunda-feira, 14 de julho de 2014

Dias difíceis - um testemunho

Hoje foi o meu terceiro dia com apenas metade da dose da medicação. Foi o dia mais difícil desde que comecei a redução. 

Fiz o meu chá da noite há mais de uma hora mas ainda nem lhe toquei. Não tenho parado de chorar. O que mais temia era ter um ataque de pânico que me levasse novamente até às urgências do hospital. Não aconteceu até agora e estou confiante que não vai acontecer. E só por isso, devia estar feliz. No entanto, mexer com a serotonina leva a que passe por momentos de tristeza e angústia. É normal. 

Há momentos em que preferia não ser farmacêutica. Há momentos em que dou graças a Deus por saber que o que me está a acontecer é normal. 

Mas eu vejo como normal. As outras pessoas não. E eu tenho que ser outra pessoa. E não me apetece. Não me apetece ser forte. Não me apetece que me ataquem quando estou vulnerável. Não me apetece não conseguir reagir para me defender. Chega. Todos temos as nossas fragilidades e eu não desejo a ninguém que tenha ataques de pânico ou que tenha que, depois, reduzir o tratamento que fez para eles.

Só quero que me deixem em paz, ter paz... só isso...

23 comentários:

Timtim Tim disse...

Acho que já te disse, eu tenho um défice de produção de serotonina. Por isso tinha algumas vontades loucas de chorar. Mas por isso sou dependente de um comprimidinho diário. Não quero nem posso deixa-lo. Mas admiro, mesmo muito a tua coragem. E vais conseguir. Só que estás a passar o momento mais difícil: o desmame. Como tu mesma sabes.
Um abracinho, sem ser apertado para não sufocar.

Panda disse...

Coragem, pensamento positivo!

De Sonhos se faz a Vida disse...

Ando de tal maneira que me apetece chorar a toda a hora. ando sensível e começo a achar que o meu corpo sabe antecipadamente que algo se vai passar.

rosa_chiclet disse...

força querida..

e não ligues às outras pessoas sê tu mesmo..

kisses***

Eu tou escondida disse...

Com calma, vais conseguir! Beijinhos

espiguinha disse...

um abracinho forte ...
Força.

Beijinhos

Maria XL disse...

Tu tens que ter calma :)
Sei que é facil falar, mas tens mesmo que te acalmar. Se estás com metade da dose, ainda tens essa parte. Agora em tom de brincadeira, só podes ficar metade nervosa, ok? :)
Vá lá, acalma-te :)

Pusinko disse...

Estás a fazer tudo bem. Quando fiz o desmame também custou (muito) em momentos mas já vão quase 3 anos e estou muito melhor assim. B-strong!
Beijinhos

Rita disse...

Muita força querida!

disse...

De certeza que vais encontrar as forças que precisas para ultrapassar esta fase de desmame. Aposto que és mais forte do que aquilo que te consideras :)

clara disse...

Tens que ter muita calma e força de vontade. Não ligues às outras pessoas. Tu vais conseguir!

miss sixty disse...

força ***

Cris Crafts disse...

Momentos altos e baixos todos temos, o problema é que quando passamos por um problema destes pensamos sempre se não será uma recaída e não apenas um momento, e isso desespera-nos mais. Mas força, vais conseguir ultrapassar. Beijinhos

Just a Lady disse...

Muita força, tu consegues :)

DiliciousBlush disse...

Espero ter essa coragem do desmame brevemente... Força querida... Um beijinho grande de alguém que te entende como ninguém infelizmente

Anónimo disse...

Eu entendo-te!E por isso,desejo-te o Melhor do Mundo!
Abracinho meu!Tu CONSEGUES.

medusa disse...

calminha sffv! eu sei que não parece, mas vai ficar mais fácil e vais ficar bem...nada de desistir, o amanhã é sempre melhor. Acredita!

medusa disse...

calminha sffv! eu sei que não parece, mas vai ficar mais fácil e vais ficar bem...nada de desistir, o amanhã é sempre melhor. Acredita!

Sofia disse...

Tenho muito medo de reduzir a medicação por causa disso. :/
Espero que já tenham começado os dias melhores. :*

Daniela S. disse...

Admiro-te pelo teu esforço. Admiro-te pela coragem que tens tido dia após dia enquanto estás a fazer essas reduções.
E a cada dia que passa compreendo-te cada vez mais. Não estou medicada como deve ser e muitas vezes me vejo nesse pranto que muito poucos compreendem...
Recentemente só consegui controlar a privação de sono e os distúrbios do sono, mas não controlo a boca dos outros. Deixei de os ouvir há muito, senão apenas chorava ainda mais.
Vais ver que consegues, só tens de continuar com esperança (:

Beijinhos!

Tsuripa disse...

Entendo-te pois passei pelo mesmo. Mas sabes,quando ultrapassares e quando perceberes que esse obstáculo é tb um degrau para te fazer subir verás o quão mais forte estás! Orgulha-te de ti! Beijinho grande

Esse disse...

Ola querida. Espero q com o tempo consigas superar isso. Se precisares de alguma coisa, tens o meu mail no blog.
Beijinho.

Ariadne disse...

Quando tive um esgotamento nervoso na altura do quarto ano de faculdade, passei imenso tempo nas urgencias porque não sabia o que me estava a acontecer, não sabia que eram ataques de pânico, pensava seriamente que estava a morrer.
Os ataques de pânico já não me afetam tanto, mas posso dizer que ainda tenho mini ataques de pânico, e imensos já começaram em frente a clientes na farmácia.

Já tiveste algum desde que paraste com a paroxetina, ou tem estado minimamente controlado? Uma coisa que sempre me ajudou foi pensar que nada fica para sempre, nem os momentos bons ou maus. Nunca experimentei reiki; tentei meditação, mas é demasiado parado para mim.

O susto com a trombose deve ter sido horrível; o pior é mesmo o tratamento do hospital público. Aos públicos só interessa manter os corredores vazios e a dedicação dada deixa muito a desejar (falo sobre os que tenho ido)