sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Exmos. PMs, GPs, Administradores ou Gestores das Marcas que oferecem coisas em eventos promocionais

Permitam-me a ousadia de vos deixar aqui uma sugestão.

De vez em quando vejo que existem eventos (nomeadamente festas) em que fazem lançamentos ou promoção dos vossos produtos. Ora as caras que vejo nesses eventos são sempre as mesmas... Os nossos pseudo-socialites, os papa-croqués-e-rizóles, muitas dessas pessoas parecem, até, viver disso. De ir a festinhas, petiscar aqui e ali, receber os presentes que oferecem em cada evento. E assim tanto vão ao lançamento de um iPhone4 como a um qualquer telemóvel baratucho com o focinho da Hello Kitty. Aparecem em lojas de estilistas internacionais (dizendo que se vestem ali) e de criadores nacionais (dizendo que se vestem ali... mas não se vestiam nas outras?!). Frequentam eventos da Sagres mas bebem Super Bock na festa a seguir, paga por este empresa. São como um cata-vento. Nada contra...

E se, em vez dessas pessoas do xocial, convidassem pessoas que fizeram alguma coisa interessante e importante na vida? É que fariam muitas pessoas felizes, porque afinal beber um copito de champanhe e ganhar um produto é sempre uma experiência agradável. E em vez de aparecer na legenda vazia Fulano Y e Fulana X, passaria a aparecer algo como:
- Fulano Y. Médico. Ajudou crianças em África numa missão humanitária.
- Bombeira. Salvou n pessoas de morrerem num incêndio.
- Investigadora. Deu um enorme contributo na luta contra a SIDA.
- Biológo. Trabalhou na preservação de uma espécie em vias de extinção.
- Gestor. Graças às suas ideias impediu n despedimentos, mantendo uma empresa viável.
- Empregada de limpeza. Todos os dias contribui de forma invisível para o bem-estar de outrém.
- Polícia. Capturou um perigoso bandido/gatuno/corrupto/pedófilo/assassino and so on...
- Escritora. Ganhou um prémio de literatura internacional.

Podia passar a noite a dar exemplos... Gente que tem mérito, por alguma razão. Uma estratégia que a mim me parece mais interessante do que mais do mesmo. Uma estratégia para mostrar aqueles que são os verdadeiros heróis deste nosso país. A associação de pessoas reais a uma marca. Pessoas que eventualmente darão melhor uso ao produto, promoverão melhor o produto do que a malta do costume. Um Portugal um bocadinho melhor conheceria os seus verdadeiros valores, não?

7 comentários:

nuvem.de.algodão doce disse...

Concordo. Mas sabes que se as pessoas que participassem nesses eventos fossem pessoas ditas "normais", as revistas não vendiam porque ninguém queria saber....grande parte dos portugueses que consome regularmente revistas cor-de-rosa quer é saber da vida das Babás e Titis. Está-se a marimbar para os médicos e bombeiros....penso eu, mas também a minha opinião de pouco serve :)
*

Gracinha disse...

Assino em baixo, completamente... O nosso país é assim, e tenho sérias dúvidas que algum dia mude :S

Sex na Cidade disse...

Alo =)
Tens um mimo no nosso blog****

Petra Pink disse...

ummhh concordo plenamente... só duvido é que essas pessoas tenham pachorra para aturar essas festinhas secantes...... só se aquilo mudasse de raíz!
mas concordo mesmo com a tua ideia...
até porque esses socialites são gentinha taoooo vazia.

Myosotis disse...

Adorei a ideia :)

**Beijinhos**

MissGummyBear disse...

Belo post Teardrop, concordo plenamente :)

Marguerita disse...

Concordo contigo, mas concordo também com a nuvem.de.algodao.doce - quem compra as revistas (e, eventualmente os produtos oferecidos ou publicitados) não são pessoas interessadas em bombeiros, gestores ou polícias. Este país não valoriza nada disso (e "só se lembram de Santa Bárbara quando troveja", sabes?).
Enfim, gosto de te ler (:

Beijinho*

marguerita-marguerita.blogspot.com