quinta-feira, 21 de março de 2013

Dia da Poesia e da Árvore

    Sou um guardador de rebanhos
    O rebanho é os meus pensamentos
    E os meus pensamentos são todos sensações.
    Penso com os olhos e com os ouvidos
    E com as mãos e os pés
    E com o nariz e a boca.Pensar uma flor é vê-la e cheirá-la
    E comer um fruto é saber-lhe o sentido.
    Por isso quando num dia de calor
    Me sinto triste de gozá-lo tanto.
    E me deito ao comprido na erva,
    E fecho os olhos quentes,
    Sinto todo o meu corpo deitado na realidade,
    Sei a verdade e sou feliz.

    Alberto Caeiro - "O Guardador de Rebanhos - Poema IX"

11 comentários:

Bernardo disse...

eish esse poema, como eu me lembro

Blackbird disse...

Adoro esse poema :)

Andy disse...

Adoro este poema :) É qualquer coisa

S* disse...

Mas que bela escolha.

Junto à Janela disse...

Alberto Caeiro é a perfeita união da Primavera e Poesia. Ótima escolha!

Ju. disse...

Ótima escolha!
Beijinho*

Maria disse...

Obrigada por me pores de novo a ler Alberto Caeiro...privilégio....!
Maria

Nadinha de Importante disse...

Adoro!! Fernando Pessoa, heterónimos e ortómino!!! Lindo

Helena disse...

Gosto tanto :)
Um beijinho

Raven disse...

Nunca fui apreciadora de poesia. Apenas leio 2 autores: o grande Pessoa e o Mário Sá Carneiro.

Carminho disse...

Foi o poema que saiu no meu exame nacional de português... nunca me vou esquecer dele.

Gosto muito de Alberto Caeiro :)

Beijinhos,
Carminho