terça-feira, 20 de novembro de 2012

Força maior

Nasci no seio de uma família que é uma autêntica salada de frutas no que diz respeito a religiões. Os meus pais tomaram a decisão sensata e, ao mesmo tempo, ingrata de não baptizarem as filhas para que elas pudessem escolher a religião que queriam seguir.

Embora tenha crescido sem uma educação católica, os meus pais sempre me incutiram os valores que vêm descritos na Bíblia e sempre nos regemos por fazer o melhor que podemos por nós e pelo próximo. Ainda criança, a minha mãe fazia uma oração todas as noites antes de eu e a minha irmã irmos dormir para nos proteger. Confesso que ainda hoje tenho saudades daquilo a que chamávamos o "boa-noitinha".
 
Depois veio o crescimento e as suas dores. Já adulta, comecei a sentir o peso de não ter um suporte para me apoiar. Via as outras pessoas a recorrerem à sua religião, a encontrar conforto nela e eu não a tinha nesses momentos de maior angústia. No entanto, também não me identificava totalmente com nenhuma das que fui conhecendo.
 
E foi então que decidi que tinha que encontrar algo. Sempre fui crente, sempre acreditei em Deus. Mas faltava alguma coisa. Encontrei o que procurava num livro best-seller que muitos consideram banha-da-cobra, O Segredo. Deixei de ser uma pessoa pessimista e comecei a ver a vida com outros olhos, mudei radicalmente a minha atitude e passei a ter o desejo de ser feliz, todos os dia. Entretanto comecei a ler sobre pensamentos positivos e energias, o que trouxe bastantes ensinamentos para a minha vida. Se resultou? Totalmente. A paz que tanto desejei, encontrei-a finalmente. Recentemente o reiki chegou à minha vida e reforçou ainda mais a construção desta minha base sólida. Agora acredito que cada um de nós encontrará a paz à sua maneira... Ainda que sem religião, acredito sinceramente numa força maior.

23 comentários:

Ana Rita Pereira disse...

É como tu dizes, cada um encontra paz à sua maneira, seja através da religião ou de outras crenças. O que interessa é que as pessoas encontrem a felicidade :)

OrquideaBranca* disse...

E estás certa nisso..eu sou católica...mas acho que todos somos "boas pessoas" se não fizermos "asneiras" como matar, roubar...mas principalmente temos que nos sentir bem connosco próprios e não fazer mal ao nosso estado de espírito :) cada um agarra-se onde quer :) e cada um acredita no que quer!!! Não somos excluídos só porque não somos da mesma religião :)

clara disse...

Concordo contigo. Por acaso, já sabes alguma coisa sobre psicoligia positiva? Bjs

Ana 100 Sentidos disse...

Tear,
gostei da franqueza e abertura com que falaste disto. Não é fácil e costuma ser alvo de muitas críticas.
eu sou católica mas onde encontrei a minha paz mesmo foi no yôga. E não só sou mais feliz como também acho que sou melhor pessoa do que era antes.

patrícia disse...

Ainda que sem religião, acredito sinceramente numa força maior.
Acho que foi a frase que mais me marcou nos últimos dias. Eu cresci como católica, mas alguns acontecimentos fizeram com que eu deixasse de conseguir acreditar inteiramente na existência de um Deus.
Agora, estou como tu. Não tenho religião porque não me identifico com nenhuma, mas começo a acreditar nessa força superior, como lhe chamas :)

Quel* disse...

Concordo plenamente. Eu sempre tive uma educação católica, fiz os anos todos de catequese essas coisas todas. Mas quando comecei a pensar pela minha própria cabeça, comecei a mudar a minha maneira de ver as coisas. Havia situações que não me encaixavam bem e comecei a duvidar do Deus que "conhecia". Continuo a acreditar que há uma força maior, só não acredito no Deus que nos fala a bíblia.
Mas tal como tu dizes, cada um encontra a paz à sua maneira. Eu sou feliz assim, e tenho quase a certeza que reger a minha vida por um livro no qual não confio, não faria de mim mais feliz.

hierra disse...

Eu n li o segredo porque sempre achei que era um bocado banha da cobra, mas do que me contam, eu acredito piamente que o pensamento positivo ajuda, embora ache que não cura cancros nem outras maleitas...o que dizes faz sentido, cada um acredita no que quer desde que isso o faça feliz...

Secret Soul disse...

eu sou católica, mas não praticante. Não posso dizer que não sou pois fui batizada, fiz 2 comunhoes e isso tudo.. E nunca questionei a religião até que começei a estudar ciências :) estou +/- como tu agora x)

anf disse...

Cada um encontra a paz à sua maneira, e fico feliz por teres encontrado a tua,
beijinho

M. gato dos botões disse...

Concordo contigo.
Fui baptizada, fiz 1º comunhão... mas nunca fui à missa ao domingo, sempre foi como a maioria das pessoas... casamentos, baptizados e funerais.
Mas em casa sempre tive os 2 lados da questão... a minha mãe que defendia a igreja e blá blá blá e o meu pai que sempre lhes chamou charlatões e afins.
Sinceramente? o que eu costumo dizer é... conhecem aquele jogo de um grupo de pessoas em que 1 diz uma frase ao ouvido do primeiro e vai passando até ao último e no fim a tal frase já não é nada parecida com a frase original?
Esta história de jesus já tem muitos anos... já passou por muito interesses... já passou por muito e não me convence.
Se realmente era uma pessoa assim tão boa como vão os padres agora em nome dele e de seu pai condenar e absolver as pessoas? E condenar em coisas tão parvas como ser homosexual... entre outras coisas.
Uma pessoa assim tão boa e compreensiva não condenaria isso... E se existisse o Deus tão bom como dizem não haveriam crianças a sofrer tanto com doenças como o cancro e outras e tanto pedófilo a andar impune na rua, por exemplo.
Isto de Deus e afins é uma daquelas coisas em que tinha de ver para crer.
Por estas e pelas coisas que já passei na vida não consigo acreditar... acredito sim na nossa consciência... na nossa força de vontade... quem manda é a nossa cabeça.
Defendo o pensamento e respeito a mãe natureza... esta sim devemos respeito.
Nunca li esse livro, mas li 2 de Louise L. Hay e ajudaram-me muito... mais do que muitas idas ao psicólogo e medicamentos.
Conheces os livros desta autora?
Eu adorava experimentar o reiki, mas ainda não encontrei o sítio certo. Como me disse o homeopata uma vez "Não force as coisas... elas correm naturalmente...quando chegar a altura encontra o que precisa".
Para muitos isto é conversa de loucos lol mas para mim faz mesmo muito sentido. Só nos falta olharmos com mais atenção para os pequenos pormenores da vida :)
hi hi desculpa o testamento lol


ℒuna disse...

O mais importante é as pessoas sentirem-se bem, em harmonia e felizes! :)

Beijinho ♥

Sílvia disse...

Bem eu sempre fui católica, mas com a idade passei a deixar de acreditar no Deus que vem descrito na bíblia. No entanto, acredito que há uma força (?) superior que nos pode guiar e nos pode ajudar a encontrar a paz que tanto precisamos.

Viagem com tudo incluído disse...

E isso é de longe o mais importante. O que interessa é que a pessoa se sinta em paz, se sinta bem consigo e com os outros (mesmo que isto nao seja fácil, todos, todos os dias).

Isa Machado disse...

Apesar de ter sido criada como católica, também só acredito numa força maior! Não concordo com tudo o que esta religião transmite!

Beijinhos

Apaixonada por Livros disse...

Não li " O Segredo" mas o Reiki para mim é tudo.

Bjs

Roger disse...

Eu tive uma educação católica por parte da minha família, inclusive sou batizado e fiz a primeira comunhão. Contudo pessoalmente há muitos anos que não me sinto minimamente católico e não acredito na existência de Deus e acredito ainda menos nos supostos ideais da Igreja Católica (não indo mais longe: a questão do preservativo). Acredito sim na existência de algo superior.

Ainda assim, respeito todas as ideologias :)

Ana disse...

seja em que lugar for ou em que livro for, o importante é encontrarmo-nos e sermos felizes. e ainda bem que o conseguiste!:)

Maria disse...

Esse livro, banha da cobra ou não, é um espectáculo! E a fé, esperança, força, cada um deve encontrar como pode e sabe, eu acho que no segredo se encontra um bom caminho para isso.

Sentada na ponta da lua disse...

Gostei de ler o teu texto. Todos nós precisamos de referências na nossa vida, de uma "boia" à qual nos possamos agarrar e fico contente por teres encontrado a tua.
Bjinhos

Lili C. disse...

É sempre difícil escrever sobre religião ou espiritualidade e gostei do texto. Na realidade as religiões são uma oportunidade de entrosamento maior entre pessoas que partilham as mesmas crenças e a sua fundação é sempre pelo positivismo. Por isso é que muitas vezes usamos as mesmas bases de entre ajuda e bom senso que estas também possuem.

Dina disse...

É exactamente como dizes. Houve uma altura em que pensei recorrer ao reiki

Verita disse...

Infelizmente não consegui esses resultados depois de ler O Segredo. Gostei do livro mas não consegui incutir os ensinamentos na minha vida!!
Well donne ;)

A Vida da Cinderela de Saltos Altos disse...

Cada um encontra a felicidade e a paz à sua maneira, o importante é que tenhamos algo em que acreditemos e que nos ajude nos piores momentos.