terça-feira, 15 de novembro de 2011

Uma guerra sem fim...

Médicos e farmacêuticos continuam a sua eterna guerra. Não é assim que vamos conseguir que os doentes ganhem qualidade nos cuidados de saúde.


Notas soltas sobre o debate:



- Os farmacêuticos não vendem medicamentos, dispensam medicamentos.


- Os farmacêuticos estudam 5 anos e fazem mais 6 meses de estágio obrigatório não remunerado.



- Os médicos, na pessoa do seu Bastonário, puseram ontem em causa a Autoridade de Saúde nacional e a europeia, bem como as guidelines rigorosas que regem a produção de medicamentos.



- Medicamentos comparados com bacalhau à Braz é algo que me recuso a comentar.



- Príncipio activo é conceito que já não existe. Usava-se quando não se sabia bem o que era, agora é substância activa, devidamente quantificada antes de cada lote ser libertado para o mercado.



E agora, caros leitores, se alguém quiser colocar alguma dúvida, comentar, discutir ou criticar, aqui estou para o debate!

24 comentários:

bee* disse...

oi boneca
o que entendes por : não vendem, dispensam medicamentos?
obrigada
bj
bee*
www.omgbee.blogspot.com

Dear Daisy disse...

:(
Também acho que esta guerra não vai ter tréguas...

teardrop disse...

bee*:
O farmacêutico tem que ser crítico, não pode simplesmente "vender". Quando vais à farmácia pedir algo tão simples como um xarope para a tosse há uma série de perguntas que devem ser feitas de modo a que te possa ser dado o medicamento mais adequado. O acto da dispensa é algo que envolve conhecimento e crítica. Quantas receitas não apanhei na farmácia com dosagens erradas? O que teria acontecido se não tivesse telefonado aos médicos a confirmar?
Sei que isto não é uma regra, mas acredito que muitos dos meus colegas fazem isto.
Beijinhos

Turista disse...

Querida Teardrop, eu só digo, que não percebo nada do asunto, mas que no fundo me parece que andam de candeias às avessas. :P

Fiona disse...

Boa, assim é que é! Aproveitar o blog para esclarecer questões deveras importantes (já aprendi qualquer coisa, que princípio activo já não se utiliza). E eu que sempre tive curiosidade sobre os assuntos relacionados com a área farmacêutica ;)

Obrigada por estes esclarecimentos :)

teardrop disse...

Querida Manuela,
Enquanto não houver um bom relacionamento entre as profissões não se vai evoluir. São complementares e muita gente ainda não percebeu isso, quer de um lado quer do outro. Eu sinto-me envergonhada com o debate deprimente de ontem...

Fiona,
Estou aqui sempre ao dispor. Vou tentando ser o mais imparcial possível, mas nem sempre se consegue. Afinal vivo de um dos lados da "barricada".

Fiona disse...

Como te compreendo, teardrop... Também eu estou do lado de uma "barricada" que costuma gerar polémica e há momentos em que me salta a tampa com a ignorância das pessoas e com as coisas que conseguem dizer e pensar.

Mas obrigada mais uma vez. Se tiver alguma dúvida da área de Farmácia já sei quem posso vir "chatear" ;)

teardrop disse...

Fiona,
Não chateias nada, bem pelo contrário, estou sempre disponível. E tens sempre o email se for alguma coisa que não queiras colocar como comentário!
Beijinhos

Fiona disse...

Fica registado, teardrop! :) Se precisares de qualquer coisa, lá no cantinho também está o e-mail ;)

Bloguisticamente disse...

Foi mesmo vergonhoso e deprimente, na verdade. O 'princípio activo' até me fazia arrepiar.
E os exemplos da culinária... Extremamente infeliz.
Até fiquei sem grandes palavras no final do programa.

stiletto disse...

Graças ao serviço nocturno que fiz no fim de semana, à hora do debate,estava a dormir. Ainda bem porque para estar a ouvir esse chorrilho de disparates, não valia mesmo a pena.
Já me contaram essa conversa do bacalhau à braz. Inadmissível!

mari disse...

pois, não estou a par dessa 'guerra', mas não me parece ter razão de existir ... cada profissão é importante e tem o seu lugar **

Bomboca do Amor disse...

Ora aqui está um tema que põe os nervos em franja ao meu marido, mas que me passa completamente ao lado.
Não percebo nada de nada e compreendo ambas as partes!
Beijinhos querida,
Bomboca do Amor.

Nokas disse...

Só espero que não sejam os doentes a pagar por esta guerra...

Lipa disse...

Concordo plenamente contigo, infelizmente quem paga é o doente :S

verniz escarlate disse...

E que me dizes dos farmacêuticos administrarem nas farmácias vacinas e injectáveis?
Eu cá parece.me que também estão a usurpar funções. Isso é próprio de enfermeiros.
ah e tal os farmacêuticos estudam, tem cadeiras disso e também sabem, pois os enfermeiros também sabem de farmacologia (e muito) e são proibidos de vender medicamentos.
Desculpa o desabafo mas é uma coisa que me revolta.
bj

NA disse...

Ui!... "os enfermeiros também sabem de farmacologia (e muito)" é algo que me deixa com bastante prurido. Pelo simples facto de ser mentira. É que farmacologia não é saber que medicamentos se administram normalmente para determinada condição, por "ver fazer". E sim, acho que os farmacêuticos não deviam andar a administrar injectáveis. NA

NA disse...

E, btw, como aqui a blogger desta botica disse: os farmacêuticos não vendem, dispensam. NA

teardrop disse...

Cara Verniz Escarlate,
Como disse várias vezes, defendo a minha posição e não a da classe profissional à qual pertenço.
O blog já tem alguns aninhos e já referi aqui que sou contra a administração de vacinas por farmacêuticos. Saí da farmácia mesmo na altura em que essa medida começou a ser implementada e disse logo no sítio onde estava que me recusava a fazê-lo.
Sou a favor de serem enfermeiros contratados pelas farmácias a fazê-lo.
Quanto ao facto de os enfermeiros poderem prescrever esse já é outro assunto... antes de os enfermeiros poderem prescrever ainda haveria muito para mudar no sistema.

D. disse...

Estas "comadres" acho que nunca se vão entender mesmo

verniz escarlate disse...

Também sou contra a prescrição por enfermeiros. Por mim o principio é o mesmo, cada macaco no seu galho. Acho que se cada um se mantiver na sua área as coisas correm sempre melhor. Independente da área que estamos a falar porque em todas as áreas há cadeiras que se tocam e que se complementam, o que não quer dizer que estejam aptos a saber fazer. (acho que a NA não percebeu bem o que eu quis dizer é que eu quis dizer precisamente o mesmo que tu. E para o prurido, a mim, resulta sempre bem hidroxizina 25 mg é tiro e queda com direito a noite santa :) estou a brincar calma!!!) Mas verdade é uma que os enfermeiro tem cadeiras de farmacologia tem, se sabem muito ou pouco depende do curso e do investimento pessoal de cada um penso eu.
Nada pessoal!!
Vá beijoca,

Joana Laranjinha disse...

Teardrop, eu continuo na minha: os médicos estudam os medicamentos que se aplicam às diversas patologias (e por vezes aplicam-nos erradamente). Os farmacêuticos criam, trabalham, investigam os medicamentos que os médicos vão aplicar, e ainda são conhecedores das patologias! Acho que não se compara quem é que tem direito a mais controlo no assunto!

Filipa disse...

Subscrevo as palavras da 'Joana Laranjinha'.

teardrop disse...

Como fiz questão de salientar sempre, só da coordenação entre as profissões se conseguiria chegar a cuidados de saúde de melhor qualidade. Cada um com a sua posição.
No entanto, não consigo entender como pode um Bastonário ir para a televisão colocar em causa produção e libertação de medicamentos. Muito menos quando essa área me é particularmente cara porque é, justamente, a minha área de especialização.