domingo, 25 de setembro de 2011

Desilusão


Sou daquelas pessoas a quem a desilusão afecta imenso. Porque vivo sempre até ao fim no pensamento do mundo cor-de-rosa. Do mundo que vai mudar e não me vai deixar ficar mal.

Mas comecei a cair em mim. Comecei a ver que, como estamos, com esta mentalidade, este país (com tanto potencial) não vai a lado nenhum. Pelo menos a nenhuma lado que valha a pena.

Os que trabalham, como eu, levam com descontos atrás de descontos. Perdas de regalias. É a nós que nos cai tudo em cima. Apesar disso, continuamos a ser as pessoas que ainda têm algum poder de compra. E mesmo assim, quando entramos numa loja, quando vamos a um restaurante, quando ficamos hospedados num hotel, percebemos que ninguém valoriza o cliente. Trabalha-se só porque sim. Prefere-se ficar a falar com o colega do que fazer aquilo para que lhe pagam. O valor do cliente começa a tender para zero e perdem-se clientes por "dá cá aquela palha". Invariavelmente, queixo-me. Sei que não vou mudar nada sozinha, mas faço a minha parte. Fico com a consciência tranquila.

Soube de situações, no centro de Lisboa, de sítios que estão a tentar contratar pessoas há mais de um mês mas estas aparecem através do Centro de Emprego e, apesar de o ordenado ser bastante razoável, as pessoas rejeitam porque ganham mais a fazer biscates... e a receber o subsídio que nos sai do bolso todos os meses.

Que vergonha de país é esta? Que vergonha de pessoas são estas? Quem está mal, muda-se. É verdade. Mas acredito que, se todos começassem a reclamar onde deviam e não apenas limitar-se a aceitar as situações e a reclamar "de boca", talvez as coisas começassem a mudar.

9 comentários:

S* disse...

Pessoas assim são uma vergonha. Sou incapaz de ficar em casa, a sentir-me inútil.

Bloguisticamente disse...

Concordo plenamente com este post.
Isso de não valorizar o cliente é mais do que habitual e a mim pessoalmente já me fez desistir de comprar coisas só por causa dessa indiferença. O contrário também já aconteceu. E, curiosamente, as minhas últimas experiências em ser bem atendida (lojas, restaurantes, etc) foram todas com pessoas cuja nacionalidade NÃO é portuguesa. (E as más, curiosamente também, com pessoas portuguesas...)Claro que haverá excepções, como em tudo.

Isso do rejeitar trabalho e ficar com o subsídio porque cansa menos é uma realidade. Triste, claro.
E vá de criar mais um impostozinho nos desgraçados que querem trabalhar e se matam a fazê-lo... :/

Biscoita disse...

É o país que temos... com gente que prefere receber o RSI ou os subsidios do que ir trabalhar e dar o litro, todos os dias. Por outro andam os tolos a trabalhar, a descontar e a ter cada vez menos regalias. Somos um país de desigualdade de mentalidades e enquanto isso acontecer seremos mesmo o pequeno rectângulo à beira mar.

*Lili* disse...

Mas olha que é isso...é uma tristeza mas é uns a dar no duro para os outros estarem de papinho para o ar a fazer rigorosamente nada e ainda a receber... é triste mas é isso que acontece. E custa-me imenso ver os meus pais a trabalhar para esses preguiçosos que não querem nada na vida e que no fundo só estava bem eliminados da nossa sociedade. Como te compreendo. A minha vez de trabalhar para eles ainda não chegou mas até eu já quero fazer algo por mim e involuntariamente por eles...estou como a S* sinto-me incapaz de ser uma inútil a valorizar-me cá por casa. Nem pensar nisso, jamais teria um pensamento desses.

http://realdreams-liliana.blogspot.com/

Sissi disse...

Pois, essa do recusar trabalhar porque ganham mais no desemprego e fazer trabalhos aqui e ali é coisa que me perturba imenso... ando eu aqui a dar o litro para tentar ter uns míseros "troquinhos" no fim do mês, sim porque cada vez cortam mais, e outros andam no bem bom, o dia todo no café e a ganhar a conta dos desgraçados que trabalham honestamente, com esta mentalidade, não vamos mesmo a lado nenhum...

Lux disse...

Olha querida, concordo emaboluto com tudo o que disseste...
Também me chateia muito ver os valors que desconto mensalmente para outrpos andarem com rendimentos mínimos e subsídios de desemprego e a não aceitarem trabalhos porque ganham mais através do subsídio...
É a pobreza de espírito que reina neste país.
Ninguém está disposto a fazer sacrifícios, e só assim se consegue construir uma vida.
Desculpa ter andado tão afastada dos comentários no teu blog (e não é só o teu!) mas ao contrário de muito boa gente da qual falamos, eu ando atolada de trabalho.

xoxo
Lux

Pretty in Pink disse...

Isto realmente é o país da vergonha... nem há palavras!

Beijinho*

Página ao Lado disse...

eu nem sei que diga sinceramente. sou como tu vivo no meu mundo cor-de-rosae depois qd assisto a tudo isto é uma desilusão! (:

http://paginaaolado.blogspot.com

*

Guinhas disse...

Nós estamos mal, é um facto mas tb há muita gente que se acomoda. No outro dia fiquei chocada e até vou fazer um post sobre isso. Alguém que ficou contente por ser despedido e, assim, ia de férias "à custa"....é uma mentalidade bem triste, mas há e muita gente a pensar assim!!