terça-feira, 19 de outubro de 2010

Da pequenez do ser humano


A ingratidão, a inveja, o egocentrismo, a arrogância, a mentira, a vingança, a maldade...


Cada um deles é mau por si só. Talvez não consigamos imaginar que uma pessoa possa ser tão pequenina que possa ser adjectivada com todos estes epítetos. Podemos mesmo viver na ilusão após ter conhecido alguém assim. Mas um dia, naqueles dias em que conseguimos ver através das sombras, conseguimos perceber o tipo de pessoa com que estamos a lidar. E ela assusta-nos por ser tudo aquilo que não queremos ser. Por ser tudo aquilo que repugnamos. Por ser verdade que possa existir alguém assim.


Não é fácil perceber. Não é fácil aceitar. Não é fácil aguentar. Mas sobretudo, não é fácil conseguir fugir.

Foto: Natalie Portman

5 comentários:

Shell disse...

Acho que o mais 'importante' do que disseste é mesmo o não conseguirmos perceber :x e acreditarmos que não pode existir ninguém assim, mas a verdade é que existe, aii... * beijinho

Kika disse...

Alguem que reuna em si todo o mal do mundo...

Ana disse...

O pior é acreditarmos que essas pessoas são o oposto - acreditamos que são boas. A minha sorte é ser intuita, e consigo ver mais além :)

Beijinho querida

teardrop disse...

Querida Ana,

É esse mesmo o ponto. Estas pessoas sabem "vender" muito bem a imagem que querem passar. De boazinhas, desgraçadinhas... Pelas tuas palavras, acho que já encontraste alguém parecido!

Beijinhos

Vera, a Loira disse...

Já passei por isso de não conseguir perceber, de ver uma pessoa com uns olhos e ela ser completamente o oposto. Dói, principalmente quando gostamos dessa pessoa.