sábado, 10 de janeiro de 2009

Telefonema da Reitoria

Aguardo o meu diploma de Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas desde Junho de 2007.

Ontem recebi uma chamada de um senhor que começou por me perguntar se eu era a Dr.ª X. Comecei logo a pensar que raio seria, ninguém me telefona para o telemóvel e trata por Dr.ª, ao que respondi que sim, que era eu. O Sr. identificou-se como sendo da Reitoria da UL e que estava a ligar a propósito do meu diploma, que queriam perguntar se o meu diploma podia ser redigido em português, que o técnico que escrevia em latim reformou-se e que não arranjavam ninguém que o substituísse. Ao que perguntei: Quanto tempo mais vai demorar se for em português? Cerca de 6 meses, mas que para latim não havia sequer previsão. Protestei por estar há tanto há espera, de só agora virem perguntar se não queria esperar pelo latim e que 6 meses ainda era muito tempo, ao que o Sr. respondeu que havia gente há mais tempo à espera...

Moral da história: tive que pagar imediatamente os 160 euros pelo diploma (que era o preço de um diploma de Mestrado normal e não de um Mestrado Integrado, mas como fomos os primeiros a sair com o grau académico teve que se adaptar), paguei os custos para ele me chegar a casa, estou há ano e meio à espera e agora vou ter que ficar com o diploma em português (esperando mais 6 meses, no mínimo)...

6 comentários:

catarina disse...

Sempre é melhor que os oito anos que esperam os colegas de coimbra...

Paulo disse...

Eu sou um deles. Espero é que depois desta longa espera, o "canudo" não me venha redigido em mandarim.

teardrop disse...

De facto 8 anos em Coimbra é uma longa espera, desconhecia esse facto =( Mas compreendo que demore tempo aqui em Lisboa porque houveram os problemas de não conseguirem encontrar uma pessoa que faça os textos em Latim...

Andie disse...

que palhaçada. Tinham 1 funcionário para traduzir as centenas de diplomas dos licenciados/mestres/doutorados da UL?!
Ridículo. Agora percebo aquele riso sarcástico que me deram em resposta à pergunta "qdo é que temos o diploma?" ...

E não terem previsão para a entrega do diploma em Latim é de chorar a rir.
Só por causa das coisas vou escolher Latim.

Ao fim ao cabo, o que é que eu ainda não fiz por não ter o diploma?! por isso é que a FFUL nos deu aqueles certificados.
Que EU tive de arranjar alguém para mo traduzir e depois ir a uma entidade oficial que mo autenticasse.
LOGO: esses 160 euros (eu até pensava que tinham sido 170euros) foi o dinheiro mais mal parado de todos os tempos.

Pelo andar da carruagem a UL vai ultrapassar os 8 anos da UC.
Vou já inspeccionar a lista de classificados no expresso (precisa-se de tradutor para latim!).... palhaçada!!!

superior disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
InesR disse...

Eu fiz uma reclamação sobre a demora na entrega dos diplomas no livro de reclamações da reitoria. Aparentemente houve mais pessoas a fazer o mesmo (alunos da Faculdade de Medicina, pareceu-me).
Pedi a devolução do dinheiro (também paguei cerca de 170 euros pelo diploma do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas) e a anulação do pedido do diploma, mas já responderam a dizer que não era possível.
O que me chateia é que desde Junho a requisição do diploma já não é obrigatório e, ainda por cima, "só" custa cerca de 60 euros. E a cereja no topo do bolo foi o telefonema a perguntar se dispensava a tradução em latim do nome do curso. (???!!???)